jusbrasil.com.br
23 de Outubro de 2021
    Adicione tópicos

    Justiça de São Paulo tira Rede TV do ar

    Publicado por Expresso da Notícia
    há 16 anos

    Emissora deixou de exibir dez programas com "contra-propaganda das mensagens nocivas alardeadas"

    Por determinação da juíza federal Rosana Ferri Vidor, da 2ª Vara Cível de São Paulo, desde as 21h de segunda-feira a Rede TV está fora do ar. A juíza já tinha deferido parcialmente liminar no dia 4 de novembro, ao determinar a suspensão por 60 dias do programa "Tardes Quentes", apresentado por João Kleber.

    Na segunda-feira, o procurador da República Sérgio Suiama, do Ministério Público Federal, requereu a interrupção do sinal da emissora pelo prazo de 48 horas, porque a emissora não cumpriu todas as determinações da decisão anterior, ou seja, deixou de "exibir os programas indicados pelos autores e a efetuar o pagamento necessário à produção dos dez programas determinados".

    Segundo a Rede TV, as transmissões via satélite (canais a cabo e outros estados) não foram interrompidas. Desde o dia 8 de novembro, em substituição ao programa "Tarde Quente" a emissora está exibindo o humorístico "Vila Maluca". De acordo com a emissora, trata-se de um "humorístico educativo, dirigido ao público infantil".

    Mas o Ministério Público Federal não entendeu que a simples substituição do programa de João Kleber por outro representaria que a liminar estava sendo cumprida. Isso porque, na decisão do dia 4 de novembro, a Justiça Federal de São Paulo tinha deterinado expressamente que a "emissora-ré" deveria produzir e apresentar dez programas que contivessem "contra-propaganda das mensagens nocivas alardeadas". Além disso, deveriam ser utilizados programas educativos já existentes, de modo a esclarecer a população que assiste a emissora.

    No mês passado, o MPF, em conjunto com seis ONGs que defendem os direitos dos homossexuais e os direitos humanos, ajuizaram Ação Civil Pública pedindo a cassação da concessão da TV Omega Ltda, a Rede TV. O pedido foi baseado em uma série de cenas que desrespeitam aos Direitos Humanos e e passsam conceitos de homofobia, exibidas no quadro de pegadinhas do programa "Tarde Quente", apresentado pelo humorista João Ferreira Filho, o João Kleber.

    Conforme o MPF, a emissora não exibiu o programa inicial, produzido pelo Ministério Público Federal.

    Leia, nos links abaixo, as notícias anteriores sobre esse caso:

    07/11/2005 |

    13 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    Quando vai voltar? Estou muito preocupada pq só assistia a rede teve o dia todo.
    Agora estou órfã
    Volta por favor. continuar lendo

    Bom, sem a TV Record não há nada o que fazer à noite pois só assisto a Record. Por favor a tragam
    de volta. Obrigada!! continuar lendo

    pois é ,virou moda...o brasil está muito na frente dos outros países ,kkkkkk
    somos primeiro mundo e os outros estão bem atras da gente....somos democráticos kkkk ,que dureza ...
    nossa justiça responde com rapidez caso como esse .ai pergunto e outros processos atolados??? continuar lendo

    Porque não processam emissoras e pessoas que atacam os catolicos e Cristo sendo chamado de gay? continuar lendo

    Muito bem! Eles podem fazer e falar tudo agredindo cristãos e a família tradicional e nada acontece. São uns malditos miseráveis! continuar lendo