jusbrasil.com.br
17 de Dezembro de 2018
    Adicione tópicos

    Silvio Pereira será processado por formação de quadrilha

    Publicado por Expresso da Notícia
    há 11 anos

    Por unanimidade, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram aceitar a denúncia do procurador-geral da República contra Silvio Pereira, ex-secretário geral do Partido dos Trabalhadores (PT), por formação de quadrilha (artigo 288 do Código Penal). A decisão foi tomada na análise do item 2 da denúncia.

    Silvio Pereira é apontado pelo Ministério Público como um dos integrantes do núcleo político-partidário do suposto esquema do mensalão, montado com o objetivo de garantir a continuidade do projeto de permanência no poder do PT.

    Silvio Pereira é denunciado não apenas porque indicava pessoas para diversos cargos dentro do governo, afirmou o ministro Joaquim Barbosa. Isso por si só, disse o relator, caracterizaria responsabilidade penal. Mas Silvio foi denunciado principalmente por ter participado de reuniões em que se tratava dos crimes cometidos pelo esquema, salientou Joaquim Barbosa.

    Em seus depoimentos, prosseguiu o ministro, tanto Marcos Valério quanto Delúbio Soares confirmaram a presença de Silvio Pereira em várias dessas reuniões. Ambos afirmaram, ainda, que Silvio tinha conhecimento de todas as atividades financeiras desempenhadas por Delúbio e Marcos Valério.

    Para Joaquim Barbosa, o fato da conduta não ter ficado descrita nas outras acusações contra Silvio Pereira (corrupção ativa e peculato) não impede que o Supremo receba a denúncia quanto a formação de quadrilha, já que este crime é autônomo, não necessitando da prática de outros delitos para sua configuração. Desta forma, o ministro votou pelo recebimento da denúncia quanto a este ponto, sendo acompanhado por todos os ministros presentes à sessão.

    O Plenário já havia rejeitado outras duas imputações a Silvio Pereira nesta mesma denúncia, pelos crimes de corrupção ativa (artigo 333 do Código Penal) e peculato (artigo 312 do Código Penal).

    EMPRESÁRIO DOOU CARRO "POR AMIZADE"

    Mas a denúncia que tornou Silvio "célebre" não foi analisada pelo STF porque não constou da denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República. Em julho de 2005, o diretor da empresa GDK, Cesar Roberto Santos Pereira, confirmou que deu o Land Rover Defender, ano 2003, a Silvio Pereira.

    O carro, de cor verde, placas DKB 8091, de São Paulo, é avaliado em R$ 80 mil. O veículo estava à venda, desde 25 de junho, mas foi retirado de exposição depois que o Jornal Nacional noticou o episódio. No dia 21 de junho, a ex-secretária de Marcos Valério, Fernanda Karina Somaggio, deu entrevista informando a ligação de Silvio com o publicitário.

    A empresa baiana GDK presta vários serviços ao Governo Federal e á Petrobras. A GDK ganhou concorrência para a reforma da plataforma P34 da Petrobrás. Vários petistas ouvidos, disseram que, se comprovada a doação, estaria configurada "quebra de ética partidária".

    O Jornal Nacional revelou que, em 2004, a GDK fez três doações num total de R$ 400 mil á campanha eleitoral do PT em Osasco, cidade de Silvio Pereira. As doações teriam tido um mês após a GDK ter vencido a concorrência para a reforma da plataforma P34 da Petrobrás.

    Em depoimento na CPI dos Correios, Silvio Pereira recusou-se a explicar como comprou o carro, limitando a dizer que todo o seu patrimônio estava declarado ao Imposto de Renda, cuja declaração os deputados teriam acesso.

    Na época, o então secretário-geral do PT, Ricardo Berzoini, voltou a defender a exclusão de Delúbio Soares e Sílvio Pereira dos quadros do partido.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)